Posts Populares

Archive for 07/29/14

BSPO - Retrospectiva (Parte II)

By : Daniel Bastos
Continuando nossa retrospectiva BSPO, vamos falar sobre o segundo deck que deu trabalho nessa temporada. De quebra, apresentamos o protótipo básico para quem almeja utilizá-lo nessa reta final ou aprimorá-lo para a temporada BSMI.



Até agora, os decks do tipo Energético não seguem nenhuma regra, a não ser trazer os personagens mais poderosos e versáteis desse tipo. Sendo assim, as listas de pilotos que costumam tentar a sorte com esse deck costumam não ter muitas variações.

A estratégia é simples: acumular cartas estratégicas e personagens em sua mão, esperar certas habilidades caírem nos recursos e atacar no turno em que os personagens entram em cena (graças à carta em destaque: Concentrar Poder), causando o máximo de devastação possível em um único turno. Ainda assim, o deck precisa de defesas para que os personagens entrem em cena sem serem interrompidos. Por isso, é muito comum introduzir o poder Ataque à Distância, quase que inteiramente por conta do cenário Fogo Cruzado, que garante o sucesso da estratégia, impedindo que personagens com o poder citado sejam alvo de Antecipações. Com isso, personagens que portam os dois poderes ao mesmo tempo costumam ter a preferência na construção e implementação do deck.

Adicionalmente, os ataques mais eficazes atribuídos ao poder Energético costumam ter um custo alto. Por isso, é comum o uso de Máquina de Bloqueio Mental, que obriga todo ataque a ter um custo de incapacitação de 2, para controlar o ímpeto do oponente após o seu ataque. Essa característica, somada às altas resistências que os personagens nesse deck ostentam, dá ao deck tempo para voltar ao jogo, mesmo com a exaustão que a explosão inicial causa.

Graças a esse modus operandi, que garante eficiência ofensiva ao custo de prêmios mais substanciais ao oponente e um jogo consideravelmente mais lento após o primeiro ataque de cada personagem, era muito comum que jogadores experientes tentassem a mão com esse deck, especialmente como forma de contra-atacar Magia, cuja essência é feita de personagens frágeis e dependentes do sucesso de suas Antecipações.

Assim, o deck Energético obteve quase tanto sucesso quanto o deck Magia, tendo contra si um único problema: o seu custo. Por conter muitas cartas Super e/ou Ultra Raras, esse não é um deck acessível para jogadores recém-chegados, sendo o mais caro do formato para se construir eficientemente. Além disso, algumas das cartas essenciais para o desenvolvimento do deck são muito difíceis de encontrar, o que desencoraja qualquer novo jogador.

Como prova, segue o esqueleto básico de um dos melhores decks de todas as edições de BS:

Personagens -

3x Electro
3x Tocha Humana
3x Máquina de Combate
3x Dr. Destino
1x Raio Negro
1x Motoqueiro Fantasma

Habilidades -

3x Concentrar Poder
3x Raio de Força
3x Onda de Energia
3x Granada de Mão
3x Jogar Objeto

Suportes -

3x Armadilha Reforçada
3x Máquina de Bloqueio Mental

Cenários -

3x Fogo Cruzado
3x Retirada Estratégica

Total: 41 cartas

Report do torneio da Let’s Collect e primeiras impressões sobre M.I

By : Camila Ribeiro
Olá pessoal, meu nome é Camila e esse é o meu primeiro post aqui no blog! Muitos já me conhecem dos torneios e outros certamente já me viram de relance, pois sou praticamente a única mulher que joga Battle Scenes no cenário competitivo em São Paulo... Por isso fico muito feliz em poder escrever no blog e ser respeitada nos torneios, já que, infelizmente, ainda trata-se de um campo dominado por homens.

Nesse fim de semana ocorreram os primeiros torneios da coleção Múltiplas Identidades, que contaram com a participação de muitos players e foram bem divertidos. O lançamento no Anime Friends atraiu  jogadores de outras cidades e players novos, além da presença de Daniel Oliveira, Artur e Airon Toledo como juizes. Isso foi bastante positivo, pois muitos aproveitaram a oportunidade para conhecer melhor o jogo e puderam tirar suas dúvidas com os juízes, que se mostraram bem solícitos. Aliás, seria muito bom se outros torneios também tivessem juízes, pois isso é muito importante principalmente para jogadores novos, que geralmente apresentam várias questões.

 Foi legal também ver que várias pessoas conheceram o jogo no estande da Copag no evento, e acabaram comprando o deck inicial. Eu conheci o jogo exatamente dessa maneira  no Anime Friends do ano passado, e desde então não parei mais de jogar. Espero que essas pessoas também gostem do card game e passem a frequentar os campeonatos!

Fiquei muito feliz pois consegui ficar em terceiro lugar no domingo. Ganhei um playmatch muito bonito, uma deckbox e 18 boosters, e aprendi a valiosa lição de nunca mais deixar um surrar na mesa do oponente (é uma habilidade melhor do que parece). Foi assim que perdi para o Daniel Bastos, que conquistou o primeiro lugar nos dois dias do evento e provou que o melhor jogo se faz nos detalhes!

 Minha impressão a respeito dessa nova coleção é que ela vem para ficar, isto é, ela tem um potencial incrível para atrair novos jogadores. São muitas as possibilidades que se abrem com os novos personagens e cards de habilidades. Imagino que novos players vão se ver atraídos por fazer decks tribais, onde possam colocar em cena seus personagens favoritos dos quadrinhos.

Os próprios decks iniciais da nova coleção Parede de Plasma e Parede de Gelo seguiram esse formato e geraram situações bem interessantes nos torneios. O deck de vilões jogou muito com seus personagens pesados e mais agressivos.  Bloob e Fanático encheram as mesas usando impulso brutal.  Mercúrio e Groxo formaram estrategicamente o combo com Magneto, e Pyro e Sentinelas com nano-sentinelas foram um bom elemento surpresa. Já o deck de heróis foi menos utilizado nas finais, mas se mostrou uma boa aposta para os players mais estratégicos, que jogam no controle com vários personagens em cena. Colossus, Psylocke, Blink , Fênix, Fera e Homem de Gelo jogaram muito, e se carregados com as habilidades certas conseguiam travar de modo eficiente o oponente.

Nesse fim de semana a loja Let’s Collect também fez o pré release de Múltiplas Identidades. Embora não tenha sido muito divulgado, esse torneio foi a opção para quem não conseguiu vaga para o Anime Friends de sábado, como foi meu caso. O torneio foi bem divertido, e eu consegui o primeiro lugar. A maior parte dos players pegou o deck de vilões, então tiveram muitos mirrors. A final foi bem disputada com um jogador novo, o Rodrigo, que está de parabéns pois conseguiu ter bastante controle do próprio deck mesmo tendo começado a jogar recentemente. A premiação foi bacana: um playmatch e um monte de boosters.

No entanto, fiquei bastante decepcionada com a falta de organização da loja, que se mostrou displicente com o torneio ( nenhum dos funcionários parecia conhecer as regras do BS ou como organizar o campeonato), além de ter sido muito mal divulgado. As cartas promo foram divididas igualmente entre todos os participantes, o que mostra, pelo menos na minha opinião, que a loja não pretende mais fazer torneios.

Battle Scenes é um card game que tem apenas um ano e três meses, e por isso ainda não dá tanto lucro para as lojas como outros jogos já mais consolidados.  Resta, portanto, aos jogadores que pressionem os lojistas que pediram os kits da Copag para que realizem os torneios ,e  que os façam adequadamente. Muitas lojas que pediram os  kits tanto de Múltiplas Identidades como do Homem Aranha ainda não se manifestaram.  É muito positivo a Copag estar apoiando mais o jogo, então cabe também a nós, jogadores, cobrarmos um retorno dessas lojas.

Abraços a todos!


- Copyright © Torneios de Battle Scenes - Date A Live - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -